VOLTAR AVANÇAR
   
  • Home Ladrílho Hidráulico
  • CATÁLOGOS ESPECÍFICOS DE
    MODELOS E TIPOS DE LADRÍLHOS HIDRÁULICOS E OUTROS
  • CORES DE REVESTIMENTOS
  • CONTATO
  • LINHA E MODELO
    DE LADRILHOS HIDRÁULICOS
  • LADRILHO HIDRÁULICO NOVOS MODELOS
  • LADRILHO HIDRÁULICO MODELOS LISOS
  • LADRILHO HIDRÁULICO MODELOS FLORAIS
  • LADRILHO HIDRÁULICO MODELOS GEOMÉTRICOS
  • LADRILHO HIDRÁULICO MODELOS CURVOS
  • LADRILHO HIDRÁULICO MODELOS CÉU E MAR
  • LADRILHOS HIDRÁULICOS ANTIDERRAPANTES E AUTORELEVO
  • PISO RAMPA
  • PISO DRENANTE
  • PISO INTERTRAVADO TERRACOTTA
  • PISO INTERTRAVADO RETANGULAR CINZA E COLORIDOS
  • ELEMENTOS VAZADOS | COBOGÓS EM ARTEFATOS DE CIMENTOS
  • ARTEFATOS DE CIMENTO / SANEAMENTO BÁSICO
  • PODOTÁTEIS LADRILHOS HIDRÁULICOS ABNT NBR 9050
  • PODOTÁTEIS PVC/BORRACHA ABNT NBR 9050
  • PODOTÁTEIS AÇO INOX
    COM GABARITO (AUTOCOLANTE/COLA DUPLA FACE) ABNT NBR 9050
  • PODOTÁTIL PVC EM ELEMENTOS COM GABARITO (AUTOCOLANTE/COLA
    DUPLA FACE),
    ABNT NBR 9050
  • PISOS E BORDAS CIMENTÍCIAS TEXTURIZADAS E ATÉRMICAS PARA PISCINAS, SAUNAS E AMBIENTES DIVERSOS
  • CIMENTÍCIOS LISOS LIMESTONE
  • CIMENTÍCIOS NATURAIS LIMESTONE
  • PISOS DE
    CIMENTO QUEIMADO
  • SERVIÇOS
    DE RESTAURAÇÃO EM LADRILHO HIDRÁULICO E EM REVESTIMENTOS EM GERAL
  • ÍTENS PARA
    ACABAMENTO E REVESTIMENTO DE LADRILHOS HIDRÁULICOS E CIMENTÍCIOS ATÉRMICOS
  •  
    EMPRESA
     

    Prezado cliente,

    A idéia de trazer para o Rio de Janeiro uma fábrica de ladrilho hidráulico, surgiu de uma visita feita à Paraíba do Sul, a uma loja de antiguidades no ano de 1996, pelos irmãos fundadores, em função de uma antiga admiração pelo produto. Propuseram então uma parceria a um amigo, ladrilheiro do interior de Minas Gerais, que forneceu dados para levar adiante um sonho impulsionado pela magia de um produtos com alma própria, produzido artesanalmente em 3 países do mundo, do continente Europeu, e no Brasil. Não vamos querer que as pessoas entendam do que estamos falando de imediato, a maioria sé vai entender vendo, vivendo e talvez estudando arquitetura, ciência guardiã da ergonometria e “graça” das construções.

    No ciclo de vida do ladrilho hidráulico como produto, verificamos um contínuo desuso, seja em função do advento das cerâmicas industrializadas, apesar de não garantirem a mesma relação custo x benefício, e em função da forma que tem sido comercializado e produzido, sem um incremento considerável na produtividade, assim como preço de venda compatível, que possibilite um nível de investimento para continuidade do produto, financiando a formação de artesões profissionais, que leva em média 10 anos. O ladrilho ainda existe pela vontade de algumas pessoas que tem pelo produto uma relação mais do que comercial, afetiva, de admiração, respeito,...amor a arte de fazer ladrilho hidráulico.

    A nossa proposta de trabalho está calcada na vontade de preservar uma arte tradicional e exclusiva, que animam nossa existência e essência, dentro de um padrão de qualidade crescente, defendendo a posição de produto Premium, sem substitutos, seja no revestimento de pisos de calçadas movimentadas ou em palácios individuais, representando pela intimidade de cada um de nós, onda do terceiro milênio.

    Agora imagine um piso que adquira a dimensão do seu criador, com origem no Egito, Mesopotâmia e na Pérsia, trazido ao longo dos séculos por famílias tradicionais de artesãos da Arábia para à Península Ibérica e no século XIX para o Brasil.

    Que possa ser criado com combinações infinitas de cores e modelos. Decorativo, individual, histórico, rústico, clássico, moderno, futurístico, atual, artesanal, tradicional.


    Que faça parte da arquitetura histórica do Rio de Janeiro a 200 anos, em acervo de prédios incluindo a Igreja de Santa Luzia no centro da cidade, cuja arte de confeccionar foi resgatada pela engenharia moderna, com requintes.

    Que possa ser usado em uma calçada de alto tráfego e em um palácio, criando várias relações de custo X benefício.

    Que inspire nas pessoas sentimentos e impulsos diversos de admiração, respeito, criação identidade,...afetividade...

    Imaginou...? Existe...? Acredite e venha criar conosco a sua concepção.

     

    Eng. André Barcellos Janot Marinho | Gerencia de Vendas e Marketing
     
     
     
    IMPRENSA
     
     

    As cores atuais do passado colonial
    Belo e resistente, o ladrilho hidráulico volta a ser moda na decoração (Suzete Aché)

    Quando abriu seu negócio, há quatro anos, o engenheiro André Barcellos Marinho sabia que encontraria muitos desafios pela frente. Sua fábrica de ladrilhos hidráulicos, a Limestone, veio de certa forma recuperar o passado colonial brasileiro, mas veio também tentar concorrer com as modernas empresas de azulejos e pisos cerâmicos .
    - Era um sonho antigo. Acho que o ladrilho hidráulico traz a magia do passado, possibilita infinitas combinações de cores e fica mais bonito ainda à medida que o tempo passa. É mais resistente que os pisos comuns e pode ser usado até em calçadas – afirma ele.
    O que, constata-se, é a mais pura verdade. Muitos exemplares remanescentes das construções do século passado, trazido por engenheiros europeus contratados para erguer casas para a corte de dom João VI, resistem bravamente em oficinas mecânicas do Centro e em casarões de São Cristovão, a maioria transformada em estabelecimento comercial, suportando tráfego intenso. Também se contram pisos de ladrilho hidráulico na igreja de Santa Luzia, no Mosteiro de São Bento, na Igreja de Santo Antônio.
    Chicô: releitura brasileira ao usar os ladrilhos
    Na composição das peças, que são fabricadas individualmente por artesãos (como feitos no passado), entram grãos de areia selecionados, pó de mármore, pó de granito, pó de quartzo, cimento e corantes, dispostos em três camadas, mas espessas que a dos azulejos comuns. E, cada vez mais, os interessados em recuperar velhos pisos se valem dos serviços de André: recentemente, o Patrimônio Histórico resolveu restaurar o pavimento do casarão tombado onde funciona a Escola Mario da Veiga Cabral, cujo piso tem curiosa padronagem lembrando uma cruz suástica da qual não se tem notícia da origem. Ele reproduziu o desenho fielmente, quase não se nota a diferença entre o novo e o antigo.
    Assim como o azulejo, o ladrilho hidráulico de ter entrado na Europa pela Península Ibérica, levado pelos árabes, mas sua origem ainda ;e nebulosa, apesar de registros sobre ele encontrado há mais de 500 anos. Hoje, no Rio, ele desponta como uma opção sofisticada para decoradores e arquitetos, especialmente em projetos de fazendas. O arquiteto Chicô Gouvea, um dos entusiastas, procura cores vibrantes nos ladrilhos que encomenda.
    - Esse tipo de material chegou a cair em desuso no Brasil, mas ele ainda é muito usado no exterior, especialmente na Provença e no sul da Itália. Procuro fazer a releitura de uma época brasileira quando uso os ladrilhos em meus projetos. Adoro sua textura. Gosto da mistura do presente e do passado, alem de o ladrilho hidráulico ser tão bonito quanto resistente. Usei no andar de baixo do Garcia & Rodrigues e o resultado foi muito bom – diz Chicô.

     
     

    Feito como nos velhos tempos
    Os ladrilhos que enfeitavam o chão dos antigos casarões continuam sendo fabricados um a um, com há séculos
    Os pisos dos antigos sobrados coloniais portugueses continuam tão bonitos quanto sua época. Mais ainda: a passagem do tempo só fez aumentar sua beleza. Até hoje esses ladrilhos continuam sendo fabricados artesanalmente. Como no século XIX.
    O nome ladrilho hidráulico vem do tipo de prensa em que os ladrilhos são compactados. O processo de fabricação não mudos praticamente nada com o tempo. Até os componentes continuam os mesmos: pó de mármore, quartzo e granito, óxido de ferro areias de diversas cores e cimento. O artesão preenche a forma com a mistura que depois vai para prensa. Em seguida o ladrilho seca durante 24 horas e finalmente recebe um banho de imersão por algumas horas. Do começo ao fim tudo é artesanal. Até as grades de cobre da fôrma são feitas pelos artesãos diz André Barcellos Marinho da empresa carioca Limestone.
    As qualidades dos ladrilhos hidráulicos vão alam da estética, lembra André: são antiderrapantes, fáceis de assentar e suportam tráfego pesado. Tanto que em São Paulo são usados até em calçadas diz.

     
     
    Limestone nas Redes Sociais:

    Caminho da Fazenda n.º 06 - Ilha de Guaratiba - CEP: 23020-833 - RJ - Brasil - TEl/FAX.: (21) 2410.7172 - 2410.7877
    CELULARES FÁBRICA: (21) 8551.7172 - 8872.7172 - VENDAS TÉCNICAS: (21) 8796.7172 - 9606.9627 - 7819-4670 - E-MAIL: limestone@limestone.com.br

    Entregamos Ladrílho Hidráulico em todo o território nacional.

    Acre-AC; Alagoas-AL; Amapá-AP; Amazonas-AM; Bahia-BA; Ceará-CE; Distrito Fereral-DF; Espírito Santo-ES; Goiás-GO; Maranhão-MA; Mato Grosso-MT; Mato Grosso do Sul-MS; Minas Gerais-MG; Pará-PA; Paraíba-PB; Paraná-PR; Pernambuco-PE; Piauí-PI; Rio de Janeiro-RJ; Rio Grande do Norte-RN; Rio Grande do Sul-RS; Rondônia-RO; Roraima-RR; Santa Catarina-sc; São Paulo-SP; Sergipe-SE; Tocantins-TO.